ARQUIVO 1

Kléber Montezuma: "Falta gás de cozinha em algumas escolas de Teresina"

A denúncia é referente a Escola Walter Alencar, no Bairro Planalto Uruguai, Zona Leste de Teresina

09 de agosto de 2022, às 10:00 | Douglas Cordeiro

Em entrevista ao Jornal O Dia News, da O Dia TV, o professor Kléber Montezuma, revelou que o ex-prefeito Firmino Filho, foi o idealizador e deixou dinheiro em caixa para construção do viaduto do Bairro Tabuleta, Zona Sul de Teresina.

Foto publicada no twitter do professor Kléber Montezuma

Montezuma fez várias denúncias contra a atual gestão, entre elas, o fim do Projeto Lagoas do Norte, com o Banco Mundial.

"A prefeitura de Teresina perdeu o maior contrato do poder público por incapacidade de gestão, descaso e vai deixar de receber todo o dinheiro que viria para a conclusão da obra", disse Kléber.

Sobre o empréstimo de R$ 500 milhões, solicitado pelo poder público municipal, o professor criticou o pedido que não informou as obras que serão realizadas com os recursos.

"Este é um episódio inédito na história da gestão municipal. Contarir um empréstimo sem especificar as obras que vão ser realizadas, quanto vai ser gasto em cada uma e onde serão feitas. O Ministério Público precisa ficar de olho neste caso. É um cheque em branco nas mãos de um prefeito que é atabalhoado", criticou o ex-secretário de educação.

Sobre a educação, Kléber denunciou que várias escolas da capital estão sem aulas por falta de professores.

"Na Creche Dalai Lama, no Povoado Boa Hora, não está havendo aulas. Eu encontro diretores de escolas, professores e mães de alunos e todos dizem que as salas de aulas estão praticamente vazias por falta de professores para atenderem as crianças", frisou.

Outro caso citado durante a entrevista, foi a falta de gás para o preparo das refeições dos alunos da Escola Walter Alencar, no Bairro Planalto Uruguai, Zona Leste de Teresina.

"Na semana passada, a direção disparou mensagens de whatsapp para as famílias dos alunos, informando que estava liberando os estudantes meio-dia porque não havia chegado gás para preparar as refeições. Eu tenho prints, destas mensagens, que mandaram para mim. Na escola de tempo integral, o estudante almoça no colégio. O aluno chega às 07h30 e sai às 14h30, portanto, a permanência na escola só ocorre com o almoço", revelou Kléber Montezuma.

Outra denúncia, foi que o ano letivo de 2021, nas escolas municipais de Teresina, foi encerrado sem cumprir a carga horária.

"Não foi completado os 200 dias letivos em muitas escolas e não cumprida a carga horária mínima de 800 horas, que são exigêcias da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. O Ministério Público precisa investigar como o ano letivo foi concluído. Que mágica foi feita? O ano de 2022 é a mesma situação, não dá para fechar o ano letivo, por existem várias escolas que os alunos não estão assistindo aula. Os diretores precisam ter cuidado, porque a rigor, a documentação é assinada pelo diretor(a) da escola, cuidado com os documentos que vocês estão assinando, porque pode ocasionar problemas judicias. É um crime federal˜, concluiu o professor Kéber.

Print disponibilizado pelo professor Kléber Montezuma


POUCAS E BOAS

DENÚNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL - PARTE 01

Sobre o pedido de bloqueio de R$ 44 milhões de suas contas e da família do ex-prefeito Firmino Filho, Kléber Montezuma explicou que a ação refere-se a precatórios que a prefeitura de Teresina recebeu em 2016. Foi feita uma negociação com o Banco do Brasil que para liberar os recursos, pediu um deságio de R$ 18 milhões de reais. Para efetuar o pagamento, foi aprovado na Câmara Municipal uma Lei Municipal autorizando a operação. 

DENÚNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL - PARTE 02

Kléber afirma que existe um parecer jurídico da Fazenda Pública Nacional autorizando a negociação e afirmando que a transação era legal. O documento foi aceito pelo Banco do Brasil. Ele acrescentou que existe uma decisão da Justiça federal classificando a operação como legal.

DENÚNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL - PARTE 03

Sonre o pagamento de professores, Kléber revelou que a progressão da classe é pago a partir da implantação na folha, mas sempre fica um passivo. Quando os recursos dos precatórios chegaram, a prefeitura devia aos professores, por conta das progressões, entre 12 e 14 milhões de reais e foi feito o pagamento. 

ALIANÇA ANTIGUÍSSIMA

Sobre a o apoio do MDB ao PT, em especial ao candidato Lula, o ex-ministro do Planejamento, João Henrique disse que já era esperando. A divisão do MDB é natural.

"O MDB não seria MDB se assim não fosse", disse João Henrique.

ÁGUAS PASSADAS

O vereador de Teresina, Luís André, disse que não fala mais do seu rompimento com o UNIÃO BRASIL, seu partido. 

Eu já falei dos meus motivos. Fiz minha parte durante o período de pré-campanha, andei em 55 cidades, fiz mais de 130 reuniões, mas isso é página virada", disse o vereador.

CONFIANÇA TOTAL

O deputadao federal, Júlio César (PSD-PI), reafirmou a segurança das urnas eletrônicas. 

"A cada eleição moderniza o sistema eleitoral brasileiro. Eu tenho uma confiança de que são segura e serve de modelo para vário países do mundo", ressaltou o parlamentar.

SÓ NO PAPEL

As declarações de bens, registradas por grande parte dos candidatos no Piauí, revela dezenas de milionários. Não é difícil encontrar nomes que declararam, no mínimo, 1 milhão ou 2 milhões.

EXISTEM EXCESSÕES

Alguns destes candidatos, os valores declarados são aceitáveis. São profissionais de sucesso, com vários anos de trabalho. Outros, fica difícil entender, mesmo para quem tem a imaginação fértil.

ESTOU COMPRANDO

Ainda sobre as declarações de bens, terrenos foram avaliados em R$ 900,00 e casas em R$ 2.000,00. Quem quiser vender pelo valor que consta na declaração, por favor, entre em contato comigo que tenho investidores interessados na aquisição.

POR FALAR NISSO

A Justiça Eleitoral não tem uma forma de fiscalizar se realmente os valores atribuídos aos bens que constam no patrimônio do candidato corresponde ao valor de mercado. Caso esteja muito abaixo, não tem punição?

VAI COMEÇAR

O promotor de Justiça, Raimundo Nonato Ribeiro Martins Júnior, da 1ª Promotoria de Justiça de Esperantina, instaurou Procedimento Investigatório Criminal contra oex-prefeito Francisco Antônio de Sousa Filho e Lourival Bezerra Freitas, para apurar possível cometimento do crime de apropriação indébita previdenciária, pela ausência de repasse à previdência social das contribuições recolhidas dos funcionários públicos. O objetivo é colher mais elementos para a elucidação dos fatos e averiguar se existe ou não a necessidade de uma ação penal.


REDES SOCIAIS

VÍDEOS MAIS VISTOS