ARQUIVO 1

O cabo de guerra entre os "Bolsonaros" preocupa os assessores

Um adota as medidas corretas no campo político e o outro que insiste em um discurso que tem diminuído os seus apoiadores

25 de janeiro de 2022, às 07:30 | Douglas Cordeiro

Os assessores mais próximos do presidente Jair Bolsonaro têm tentado convencê-lo a mudar seu posicionamento sobre a vacina contra a COVID-19. É uma tentativa de tentar diminuir sua rejeição e começar reconquistar parte do eleitorado perdido.

Todas as pesquisas mostram que maioria esmagadora dos brasileiros é a favor da vacina, inclusive para crianças.

“Depois de 2 anos falando tudo o que ele disse sobra a COVID-19, se ele desse o braço à vacina, era fácil a gente reconstruir este discurso, pelo menos, para parte da população”, disse um assessor.

Mas Bolsonaro continua mantendo o discurso do início da pandemia mesmo contrariando o que pensa a maioria do povo brasileiro.

Por outro lado, os mesmos assessores concordam que ele tem trilhado o caminho correto na montagem do núcleo que vai comandar sua campanha para a reeleição. Políticos experientes, com capacidade de articulação, que agregam poder de fogo na corrida eleitoral.

Nos bastidores, a situação é definida como uma espécie de cabo de guerra entre dois “Bolsonaros”, um que ouve e adota as medidas corretas no campo político e outro que insiste em um discurso que tem contribuído para a diminuição dos seus apoiadores e aumento do seu índice de rejeição.

O cabo de guerra dos "Bolsonaros" / FOTO: Correio Braziliense


POUCAS E BOAS

BICO CALADO E PÉ NA ESTRADA

Quem tem acompanhado a agenda do pré-candidato a governador do PT, Rafael Fonteles, não vê diferença de outras eleições e candidatos. Agora, quem entende um pouco dos bastidores da política do Piauí, sabe que tem alguns integrantes do executivo que não simpatizavam com a indicação de Wellington Dias, mas agora são obrigados a participar das andanças pelo interior.

COMO SERÁ O AMANHÃ?

Por falar em integrante do executivo, parece que alguns têm esquecido que governos passam, já que existe eleição a cada quatro anos. Só que muitos têm se comportado como se tivessem sido aprovados em concurso público para ocupar aqueles cargos. É bom não esquecer que o mundo dá muitas voltas.

TUDO DE NOVO...

Desde ontem, o Tribunal de Justiça do Piauí está com as atividades presenciais suspensas, até o dia 30 de janeiro. O presidente do TJ-PI, desembargador José Ribamar Oliveira, considerou o aumento no número de casos de gripe e COVID-19. Conforme a portaria, a atividade presencial será prestada apenas por um integrante do quadro da respectiva unidade judiciária ou administrativa, o restante vai funcionar em trabalho remoto.

... COM HORÁRIO MARCADO

Os atendimentos presenciais de urgência só ocorrerão com horário marcado, duas pessoas por vez, dois atendimentos por hora, com intervalo de 20 minutos entre eles. O horário de expediente presencial para atendimento ao público será das 08h00 às 14h00. Advogados, defensores públicos e membros do Ministério Público vão ter acesso aos prédios do Poder Judiciário com agendamento.

NOVA ONDA

O professor de matemática, Jefferson Leite, da Universidade Federal do Piauí, já alertou que durante o mês de fevereiro, os piauienses vão enfrentar uma nova alta no número de novos casos da COVID-19. As projeções apontam dias com cerca de mil pessoas contaminadas com o novo coronavírus. A mesma projeção aponta o início da queda dos casos no fim do mês.

E AS MORTES?

A mesma projeção mostra que não haverá um crescimento proporcional no número de mortes pela doença. Os óbitos devem ficar estáveis, ou sofrer uma pequena elevação.


REDES SOCIAIS

VÍDEOS MAIS VISTOS